Pesquisa:
SteamPunk | Arcane Sally & Mr. Steam
20524
post-template-default,single,single-post,postid-20524,single-format-standard,edgt-core-1.0.1,ajax_fade,page_not_loaded,,steampunk 2017-ver-1.9, vertical_menu_with_scroll,smooth_scroll,transparent_content,blog_installed,wpb-js-composer js-comp-ver-5.2,vc_responsive
dez 28 2017

Arcane Sally & Mr. Steam

“Na Inglaterra Vitoriana, o Lorde Percival Cawthorne, um ousado operativo da Coroa Britânica, seu fiel valete Runnymede, e a misteriosa agente conhecida como Miss Sally devem trabalhar juntos para impedir um elusivo criminoso de colocar em prática perigosas teorias matemáticas de Lewis Carroll que podem alterar a própria natureza da realidade. Ao fim dessa história, um desses audazes agentes irá encontrar a Morte; enquanto o outro irá se deparar com algo muito pior… ”

O sobrenatural não surpreende Lorde Cawthorne, ou como é conhecido em seu trabalho para a Coroa Britânica, Mr. Steam. O principal motivo disso, é que geralmente as forças ocultas que ele investiga não passam de farsas tecnológicas e conspirações criminosas cuidadosamente disfarçadas. Mas algo sobre o novo caso passado pelo Primeiro Ministro, encontrar e capturar um criminoso que já eliminou três dos operativos em seu encalço, e sobre Miss Sally, a misteriosa agente trazida para ajuda-lo, podem colocar algumas de suas certezas em cheque.

Essa é a situação em que nos encontramos nas primeiras três edições de Arcane Sally & Mr. Steam, escrito por David Alton Hedges, e desenhado pelo brasileiro Jefferson Costa. Três espiões assassinados enquanto perseguiam um criminoso que todos viram ser julgado e executado, cartas misteriosas de ocultistas alertando algo terrível no horizonte, turbinas a vapor roubadas, um mistério envolvendo teorias matemáticas, e Miss Sally, uma agente enigmática impossível de ser perseguida e que só pode ser contatada através de uma peculiar caixa de música.

Arcane Sally & Mr. Steam é um quadrinho que, embora claramente steampunk, não apresenta os elementos do gênero de maneira artificial. A história se desenvolve como algo que de fato também é, uma aventura gótico-vitoriana. Os toques do steampunk nela estão tão bem encaixados na narrativa, que a única reação possível ao vê-los é “oh, é claro!”.

Existem quadrinhos com steampunk no nome que jogavam os clichês do gênero na cara do leitor de maneira tão pouco sutil, que o que parece é que ao invés dos elementos visuais terem sido planejados para complementar a narrativa, o artista simplesmente copiou roupas e acessórios usados por pessoas em eventos steampunk sem se preocupar se faziam sentido ou não no contexto.

Este é um quadrinho que certamente não faz isso, o que é animador.

É um pouco cedo para dar um parecer profundo sobre o enredo, estamos na terceira edição das dez planejadas. Mas até o momento ela não deixa a desejar. Os momentos lentos são atmosféricos, e com muita informação (direta ou indireta) para ser interpretada, e as cenas de ação tem um ritmo empolgante de se acompanhar. A arte de Arcane Sally & Mr. Steam transmite perfeitamente o clima da narrativa, em representação e cores. O traço é detalhado o suficiente para manter a imersão no cenário gótico-vitoriano da história, mas estilizado o suficiente para ter uma identidade própria e moderna.

Através do modo que cada um é desenhado você compreende imediatamente que tipo de personagem é Cawthorne ou Runnymeade, que Miss Sally é envolta em mistérios, ou que o grande vilão beira algo inumano, e certas sequências silenciosas são tão cinemáticas que chega a ser uma pena que cada página não tenha sua própria trilha sonora (e algumas sequência, de fato, tem). É perfeitamente possível visualizar tudo como uma animação na linha de Samurai Jack, com cenários pintados, escuros e assustadores, cheios de sombras marcantes e movimentos fluídos. Os tons usados na colorização da história também parecem ter sido planejados milimetricamente.

Alguns das figuras principais de Arcane Sally & Mr. Steam:

Percy Cawthorne, codinome Mr. Steam, é um lorde inglês por direito de herança, mas foi criado na América. Ao retornar ao Velho Mundo, ele assumiu sua posição em uma antiga agência que investiga e elimina qualquer coisa sobrenatural que ameace a Inglaterra: Her Majesty’s Inquiry Into Peculiar Circumstances, O Inquérito de Sua Majestade Sobre Circunstâncias Peculiares. Sua família ter servido a agência desde que foi fundada, e ele responde diretamente ao Primeiro Ministro, que não parece ser muito impressionado com seu charme informal.

Miss Sally é uma agente que trabalha para o Primeiro Ministro, mas suas origens e propósitos são nebulosos. O que se sabe é que ela participou da perseguição a Thaddeus Churche, juntamente com o agente de codinome Mr. Plaid, antes que ele encontrasse seu triste fim. Ela parece pensar rápido, e não temer nada nem a ninguém. Ela também não parece estar muito impressionada com o suposto charme de Percy.

Runnymeade é o valete de Percy, mas também é seu amigo mais próximo, e é aquele que o mantem na linha, o aconselha quanto a etiqueta na alta sociedade, gerencia seus assuntos, e tenta, sem sucesso, fazer com que o jovem lorde se comporte mais como um cavalheiro britânico. Runnymeade é mais meticuloso que o impulsivo Percy, e prefere pensar antes de agir.

Mr. Plaid, Mr. Thames. Mr. Union Jack, e Mr. Bumbershoot eram todos agentes do HMIPC, e estão todos falecidos.

Thaddeus Churche foi julgado por seus crimes e executado quatro meses antes do início da história, e tem sido avistado em diversas locações da Inglaterra desde então. Imensamente forte e resistente, é responsável pela morte de quatro agentes do HMIPC.

Os Autores:

David Hedges é um roteirista de Los Angeles, e ganhador da Academy Nicholl Fellowship in Screenwriting. Ele já escreveu roteiros para diversos dos grandes estúdios de cinema, e essa é sua primeira vez escrevendo uma história em quadrinhos.

Jefferson Costa é um ilustrador, animador e quadrinista do Brasil, já ganhou três troféus HQ Mix, por Melhor Antologia e Melhor Graphic Novel, em 2015, e por Melhor Adaptação em Quadrinhos em 2013. Autor de diversos quadrinhos, como a adaptação do livro Kiss me Judas, além de publicações como Quebra Queixo Technorama, A Dama do Martinelli, La Dansarina e trabalhos nas coletâneas Front e Bang Bang. Também participou das antologias norte-americanas Gunned Down e Outlaw Territory 3, está atualmente ilustrando a Graphic MSP  do Jeremias, que sai em 2018.

Arcane Sally & Mr. Steam pode ser lido gratuitamente online tanto no Tapastic quanto do WebToons

Os três primeiros números foram financiados via crowdfunding em campanhas no Kickstarter, e também podem ser comprados fisicamente via Gumroad.

E o quadrinho está atualmente no Patreon para que continue a ser produzido. Então se você se interessou pela história e quer saber como ela continua, apoie e divulgue (porque eu também quero saber como isso termina!)

Saiba das novidades do quadrinho em sua página no Facebook e no Twitter.

 

 

 

0 Comentários
Compartilhar
Karl Felippe
Karl@steampunk.com.br
Não há Comentários

Publicar Comentário